fbpx

Heroínas da Manutenção: Millene Salies

A heroína da manutenção que nos deu a honra de compartilhar sua trajetória no texto dessa semana é a Millene Salies. Ela possui uma lista extensa de vivências, aprendizados e conquistas, tendo atuado como coordenadora de operações na brMalls, gerente de manutenção no shopping Iguatemi e na Ancar Ivanhoe e em várias unidades do grupo Pão de Açúcar. Atualmente coordena a manutenção do grupo YDUQS no Rio de Janeiro, envolvendo dezessete marcas de faculdade e outras instituições educacionais. Além das suas expressivas conquistas profissionais, ela é uma pessoa extremamente positiva, determinada e inspiradora!

A origem humilde

Millene Salies nasceu em Rocha Miranda, zona norte do Rio de Janeiro. Ela foi criada pelos pais com muito medo, pois eles moravam em uma região muito próxima do tráfico de drogas. Por isso, seus pais tentavam ocupar seu tempo ao máximo com atividades culturais e esportes.

A mãe dela atuava como professora no município e, seu pai, como datilógrafo. Com o objetivo de fomentar ao máximo o desenvolvimento educacional das filhas, a mãe de Millene complementava a educação delas pegando livros emprestados da escola e fazendo uma espécie de “cursinho preparatório” dentro de casa.

Eu sentia muita pressão para me desenvolver por meio dos estudos, porque, como minha família era humilde, a gente enxergava esse caminho como a única solução para a situação em que nos encontrávamos

Ela chegou a fazer o ensino médio junto com o ensino técnico, focando na área de eletrotécnica.

Quanto ao ensino superior, fez engenharia elétrica na UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e relata sobre a necessidade de passar em uma instituição de ensino pública porque a família não teria condições de pagar por um ensino particular.

Uma mulher de conquistas

A primeira experiência profissional com maior impacto em sua vida foi o estágio na AMBEV, onde foi encaminhada para a área de produção pela equipe de RH, que identificou que produção poderia se encaixar bem com o perfil dela. Ela gostou bastante da área e foi onde aprendeu sobre gestão de processos e novos modos de resolver problemas que aplicou, inclusive, na própria vida.

Eu me apaixonei pela junção de produção com manutenção e foi a AMBEV que me ensinou a fazer manutenção.

Desde criança, Millene estava acostumada a lidar com as metas que sua mãe criava, e esse  hábito se refletiu também no trabalho, onde estabelecia diversas metas e fazia de tudo para cumpri-las. Ela ressalta a importância de ser eficiente, mas manter a qualidade das atividades.

Após cerca de 5 anos na empresa, tomou a decisão de sair da posição em que estava. Buscou, então, se recolocar no mercado e foi trabalhar em uma empresa atuando na área de RH. “Achei que seria interessante ter essa transição na carreira, mas comecei a sentir muito a falta do contato com algo mais técnico.”

Millene permaneceu um ano no cargo e decidiu, então, correr atrás de um cargo mais técnico novamente. Divulgou seu currículo para seu antigo chefe na AMBEV, que a contou sobre uma vaga na área de gestão de manutenção predial de um shopping. Foi assim que ela entrou na área de manutenção de shoppings, começando a trabalhar na brMalls. Em 2011, foi responsável pela gestão de várias atividades no Shopping Tijuca, incluindo manutenção, estacionamento, paisagismo, limpeza e segurança e chegando a coordenar cerca de 500 colaboradores. Estava crescendo muito em questão de carreira e de responsabilidades, mas teve um grande baque em 2015 com o divórcio. “Foi um desgaste bem grande.”

Apesar dessa dificuldade na vida pessoal, conseguiu forças para continuar trilhando sua carreira promissora. Nessa época, foi atuar como gestora de manutenção na Ancar Ivanhoe Shopping Centers, estabelecendo um projeto de manutenção de 1,5 anos mas que concluiu em apenas oito meses. Sob a sua gestão, o Ancar recebeu prêmio de o shopping com a melhor manutenção do Brasil, onde todos os processos se tornaram automatizados!

Ancar recebe premiação de melhor manutenção do Brasil

O próximo desafio que aceitou foi como gerente de operações das unidades do Pão de Açúcar do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. “Foi um trabalho muito desafiador porque as tínhamos bem menos orçamento disponível para realizar os projetos do que quando eu trabalhava no setor de shoppings.” Entre seus projetos, teve a missão de criar galerias nos mercados que lembrassem o estilo mais aconchegante de shoppings.

Soma-se ainda à lista extensa de experiências a sua gestão de manutenção no shopping Iguatemi em São Paulo, onde chegou ter sob sua gerência cerca de 150 colaboradores. Ela estava morando sozinha e sentia saudades da família, motivo que a fez buscar recolocação na YDUQS no Rio de Janeiro, setor educacional onde trabalha atualmente, para ficar próxima dos parentes.

Entre as experiências que teve buscando novas posições, Millene conta que foi surpreendida certa vez pelo entrevistador. Ela estava concorrendo para um cargo alto de gestão de manutenção, mas teve que responder diversas perguntas de escopo mais prático que pareciam voltadas para o nível de auxiliar de manutenção.

“Eu fiquei confusa, até quis confirmar com o entrevistador se estava fazendo a entrevista para a vaga correta. E ele me explicou que ninguém chega ao cargo ao qual estava concorrendo sem entender o que os colaboradores vão fazer.” E essa é uma linha de raciocínio que ela concorda e leva consigo no dia a dia, a de que é importante saber muito bem todos os procedimentos, desde os mais básicos, para se tornar uma gerente.

Desabafos de quem já ouviu de tudo

Na área de manutenção, ela confirma que existem pouquíssimas mulheres e as que existem são frequentemente pouco respeitadas.

Passei por situações em que alguns homens pensaram que eu não entendia nada do assunto somente por ser mulher. Já até escutei um “você é a carinha comercial representando a empresa, né? Mas quem vai discutir comigo sobre manutenção?”

Há cerca de dois meses, ela teve que conversar com um técnico de manutenção sobre um vazamento que estava ocorrendo no estabelecimento dele. Millene estava correta sobre a culpa do vazamento ser do estabelecimento ao invés da gestão de manutenção dela, mas escutou do moço que ele não tinha condições de discutir com uma “menina”: “Tem homens que não aceitam ser corrigidos por uma mulher, ainda mais porque eu sou baixinha e magrinha rs.”

Em um outro caso, logo que entrou na gestão de um dos shoppings, sentiu a desconfiança precipitada por parte da diretoria sobre sua capacidade de atuar na manutenção. Com o tempo, porém, mostrou que tem muito conhecimento na área, conquistando a confiança de quem estava ao seu redor.

Heroína também tem tempo livre!

Apesar de atualmente coordenar a parte de manutenção de várias instituições educacionais, Millene ama arranjar tempo para passar com suas duas sobrinhas, ir à praia, cozinhar e ver jogo de futebol no estádio (na época anterior à pandemia). Ela diz ser muito feliz fazendo o que faz e inclusive nos abriu que, apesar de atualmente estar ganhando menos do que quando estava na gerência da manutenção do setor de shoppings, está mais próxima da família no RJ e, para ela, isso não tem preço.

Nós da Tractian ficamos imensamente felizes e gratos de compartilhar a história de Millene, que mostra que com persistência e trabalho honesto é possível impactar positivamente diversas áreas e trilhar uma trajetória inspiradora.