Capa

Guia de Vibração e Análise Espectral: Desbalanceamento

02/06/2021• Tempo de leitura: 1 min• Atualizado há 20 dias

Nesta nova série de artigos, apresentaremos como é feita a detecção dos principais problemas enfrentados no dia-a-dia das equipes de manutenção. Vamos descobrir os detalhes e segredos das técnicas usadas na avaliação de cada tipo de falha e nos aprofundar no universo da análise espectral dos sinais de vibração, para entender como é possível detectar cada uma.

A vibração de um ativo é um indicador precioso de anormalidades em seu comportamento, por isso a análise de vibração. Estas, caso não sejam identificadas rapidamente para serem corrigidas, podem provocar sérios danos ao equipamento; trazendo riscos operacionais, de segurança e podendo levar a interrupções na linha de produção, de máquinas e equipamentos, acarretando em elevados prejuízos financeiros em custos de manutenção.

Por outro lado, a vibração, quando medida e analisada corretamente pode ser usada como um importante indicador do estado de saúde da máquina, ajudando o profissional da manutenção a tomar ações corretivas e evitar futuros problemas. 

No artigo Desmistificando Análise de Vibração em Máquinas entendemos que todas as máquinas, quando estão em funcionamento emitem um determinado espectro de vibração. 

É importante relembrar que cada tipo de equipamento possui uma assinatura espectral original e que cada elemento de máquina que o compõe, é responsável por uma parcela das frequências que constituem este espectro, resultado obtido por analisadores de frequência.

Exemplo prático da estrutura do ativo com motor, acoplamento, engrenagem e rolamento

O desgaste, má utilização, manutenção inadequada ou inexistente, entre outras causas, levam à alteração das propriedades dinâmicas dos equipamentos, levando a falhas como:

  • desbalanceamento;
  • desalinhamento
  • empenamento de eixos;
  • roçamento entre partes fixas e girantes de um equipamento;
  • folgas mecânicas;
  • desgaste e falhas em engrenagens, rolamentos, etc.

Como é possível saber qual tipo de falha estamos enfrentando apenas ao observar o espectro?

Cada categoria de falha deteriora de forma particular a assinatura espectral do equipamento. Logo, ao analisar o espectro e detectar frequências incoerentes com o comportamento esperado para aquela máquina nas condições normais de operação, é possível identificar as características de vibração de cada componente individual e diagnosticar problemas entre os listados anteriormente, como por exemplo, desgaste, desalinhamento e folgas mecânicas.

Atualmente existem tecnologias baseadas em inteligência artificial, ciência de dados e redes neurais que promovem o monitoramento online de ativos em tempo real, que utilizam, entre outras técnicas, a análise espectral para detecção de falhas.

A TRACTIAN é uma delas, em que os algoritmos que constituem a base de sua plataforma, atuando na linha de frente da detecção de anomalias no comportamento do ativo, são baseados fundamentalmente nos tipos de análise dos sinais vibratórios adquiridos com os sensores.

Como é feita a detecção de falhas através de algoritmos?

A primeira etapa do processo de detecção pelos algoritmos consiste no levantamento da assinatura espectral do equipamento que está sendo analisado. Esta assinatura espectral é equivalente a uma leitura do comportamento vibratório intrínseco ao ativo, que chamamos de “DNA de vibração do equipamento”, porque representa sua resposta vibratória nas condições regulares de operação.

Qualquer anormalidade no comportamento vibratório habitual do equipamento ou quaisquer frequências (análise de frequência) desconhecidas de seu espectro regular são identificadas imediatamente pela plataforma, a partir disso insights são gerados e enviados na forma de alertas e-mail e WhatsApp para que os responsáveis pela manutenção possam entrar em ação.

O sensor acoplado no ativo envia informações para o aplicativo Tractian

Confira o artigo sobre como a análise de vibração permite detectar possíveis falhas nos componentes, clicando aqui. 

Após entendermos um pouco mais sobre como a vibração e principalmente o seu espectro constituem uma ferramenta muito importante na detecção de anormalidades no comportamento dos ativos, iremos abordar o primeiro tipo de falha apresentado na série Guia das Vibrações e Análise Espectral. Vamos explicar o que é, quais são os tipos mais comuns e como ele pode ser detectado no espectro de vibração. 

Definição:

Ele promove a geração de forças centrífugas, decorrentes da distribuição irregular de massa, que serão transmitidas aos mancais. Essa carga imposta aos mancais poderá fazer com que componentes sejam danificados, diminuindo a vida útil do equipamento.

Existem alguns tipos, caracterizados a partir da análise dos vetores das forças de reação nos mancais, que vamos abordar a seguir:

Estático

O eixo principal de inércia e o eixo ao redor do qual a máquina está rotacionando estão paralelos, mas não coincidem.

Como ocorre o desbalanceamento estático

Conjugado

O eixo principal de inércia não está paralelo ao eixo de rotação, entretanto os dois se intersectam no centro de gravidade do rotor.

Como ocorre o desbalanceamento conjugado

Dinâmico

Este tipo é considerado uma combinação dos dois tipos anteriores, em que o eixo principal de inércia e o eixo de rotação não estão paralelos nem se intersectam no centro de gravidade do rotor.

Como ocorre o desbalanceamento dinâmico

No espectro de vibração conseguimos detectar na forma de um pico, com valor de frequência igual ao da frequência de rotação do eixo. Isso porque o principal sintoma está relacionado à vibrações elevadas na direção radial, com a componente 1N sendo a mais significativa.

As frequências múltiplas de 1N não apresentam amplitude considerável e é importante ressaltar que a amplitude da componente 1N aumenta com o aumento da velocidade de rotação. Além disso, ele não acarreta em vibrações elevadas na direção axial, apenas na radial.

Exemplo de frequência 1N em amplitude e frequência

OBS.: A notação 1N, 2N, 3N, 4N, …, etc., é utilizada de maneira análoga à notação 1X, 2X, 3X, 4X, …, etc., para representar múltiplos da velocidade de rotação da máquina (sendo N = frequência de rotação do eixo).

A seguir, um exemplo real detectado pelo sistema de monitoramento online TRACTIAN e como a plataforma interpreta o espectro, avisando o manutentor instantaneamente.

É possível observar no espectro, que a amplitude da componente 1N (em rosa) ultrapassou consideravelmente a linha limite estipulada para o comportamento vibratório normal, o que configura um desbalanceamento. Nesse momento o insight foi gerado e enviado alerta para o usuário. 

Print de uma anomalia detectada pela plataforma TRACTIAN

A plataforma da TRACTIAN é capaz de identificar diversos tipos de falhas, com insights generalistas e também mais específicos, como é o caso mostrado acima, por exemplo.

Evitando desta forma o avanço de falhas que levariam a quebras inesperadas e permitindo ao gestor investir seu tempo em planejamento e paradas planejadas. A Análise de Vibração e a coleta de dados são pilares importantes para a manutenção preditiva. 

Para saber mais sobre como a nossa plataforma auxilia os responsáveis de manutenção em mais de 12 estados brasileiros a prever falhas e quebras, aumentando a confiabilidade de seus equipamentos, entre em contato com nossos especialistas no balão de conversa à direita ou agende uma demonstração.

Compartilhe:

Icon - Compartilhe no facebookIcon - Compartilhe no LinkedinIcon - Compartilhe no Whatsapp

Sobre o autor:

Foto do Autor

Alex Vedan

Industrial Designer pela UNESP. Especialista em projeto de produto com ênfase em tecnologia de fabricação digital, inovação e gestão. Contribuindo na criação de conteúdos relevantes para a indústria. É Sócio e Diretor de Marketing na TRACTIAN.

Linkedin do Autor

Posts Relacionados



smart-trac-chip-blog-Tractian

Está gastando muito com a manutenção inesperada de suas máquinas?

Preencha abaixo o seu e-mail e descubra com o nosso especialista como reduzir esse custo!