Capa post manutencao-preventiva

Manutenção preventiva: o que é, quando fazer e exemplos práticos

Tempo de leitura: 12 min

A manutenção preventiva não é apenas um capítulo no manual de gestão industrial. É a espinha dorsal do seu negócio, que mantém seu chão de fábrica ativo e suas contas no azul.

Não por menos, ainda em 2020, 76% das empresas colocaram essa prática no topo de suas agendas.

Mas, por que esse foco todo? A resposta é simples: porque funciona.

Porém, apesar de popular, o seu sucesso depende de como é executada.

Neste artigo, vamos mergulhar fundo nessa filosofia, dissecando desafios, estratégias de implementação e muito mais.

E aí, vamos para entender como transformar a manutenção preventiva em um pilar de excelência na sua operação? Continue conosco neste guia essencial.

O que é Manutenção Preventiva?

Manutenção preventiva é uma abordagem proativa para garantir que equipamentos e sistemas operem na máxima eficiência, estendendo sua vida útil e evitando surpresas desagradáveis. Baseia-se em prevenir que problemas aconteçam.

Ou seja, é aquela estratégia que faz os gestores de fábrica dormir mais tranquilos.

Mas, atenção: sua eficácia está diretamente ligada à qualidade do planejamento.

E aqui, entramos em dois caminhos fundamentais: a Manutenção Baseada no Tempo (TBM), onde as ações são programadas em intervalos regulares, e a Manutenção Baseada na Condição (MPC), ajustada conforme a real necessidade do equipamento, identificada por meio de inspeções e monitoramento.

Além disso, vale notar: esse tipo de manutenção consiste em uma rotina periódica de inspeções e ações pré-estabelecidas, que visam identificar (e, se necessário, corrigir) falhas mecânicas (e de diferentes origens) antes mesmo que ocorram.

O período pode ser definido por cada equipe.

Existem três tipos de métricas para isso: por tempo (ex: fazer uma revisão a cada 3 meses), utilização (ex: limpar a cada 1000 utilizações) ou marcos (x: trocar o óleo a cada 5.000 quilômetros)

Bem… Mas por que isso é tão revolucionário?

Porque, indo além do chão de fábrica, essas estratégias transformam o negócio em uma entidade financeiramente mais astuta e ecologicamente consciente.

Veja bem: reduzir desperdícios e otimizar gastos não é só bom para os bolsos. Quem diria que manter as coisas funcionando poderia ser tão impactante, não é mesmo?

Benefícios da Manutenção Preventiva

A manutenção preventiva tem enorme potencial. Na prática, é um investimento inteligente com retornos impactantes.

 Benefícios da Manutenção Preventiva
Benefícios da Manutenção Preventiva
Manutenção preventiva rápida e eficaz: descubra como agendando uma demo!

Mergulhamos a fundo nos benefícios. Que tal conferir mais?

  • Maior Tempo de Vida das Máquinas: como a prevenção evita desgastes prematuros, as máquinas duram mais. É uma lógica simples de entender. Na prática, não se trata somente de evitar o quebrar, mas de garantir que cada componente atue no seu máximo potencial por mais tempo.
  • Flexibilidade no Mercado: pense bem, ao antecipar necessidades de reposição e manutenção, sua empresa ganha margem para melhor negociar com fornecedores. Quem tem informação, tem poder, concorda? E aqui, a informação sobre o estado dos seus ativos te coloca um passo à frente — bem como com mais tempo.
  • Redução de Custos: a lógica é simples, prevenir é mais barato do que consertar. A abordagem preventiva reduz custos com reparos emergenciais, peças de última hora e, claro, paradas não programadas que afetam a linha de produção.
  • Maior Confiabilidade Operacional: saber que suas máquinas estão em ótimo estado para a produção não tem preço. A manutenção preventiva traz essa paz de espírito, garantindo que as operações fluam sem interrupções inesperadas.

Cada um desses benefícios, do chão de fábrica até a negociação com fornecedores, reforça a importância de um plano de manutenção preventiva bem executado.

Lembre-se: o foco é otimizar todo o ecossistema de produção.

Dados e Estatísticas Atuais da Manutenção Preventiva

Dando uma espiadinha por aí nas principais fontes, fica claro que a manutenção preventiva não é só uma tendência, mas uma necessidade urgente.

Mas há outros elementos na mesa.

De acordo com a Plant Engineering, apesar de 88% das empresas da indústria utilizarem a abordagem preventiva, cerca de 93% admitem que seus processos de manutenção estão longe de ser eficientes.

O gap tecnológico é outro fator de alerta gritante: só 40% usam ferramentas analíticas, e meros 22% aplicam manutenção centrada na confiabilidade (RCM), mergulhando nos dados operacionais. 

A situação é alarmante: 60% das empresas ainda operam na base da manutenção reativa. Ou seja, a filosofia de “esperar o leite derramar para correr atrás do pano” ainda existe.

E não para por aí: ainda conforme Plant Engineering, 44% das fábricas dedicam mais de 40 horas semanais só para manter as coisas rodando.

Isso é quase uma jornada extra de trabalho, concorda?

Ou seja, organização é essencial. Lembra que mencionamos a importância do plano de manutenção preventiva anteriormente? Aqui ele se encaixa como uma luva na sua cadeia operacional.

Não por menos, quando bem feito, 60% das empresas associam as práticas de abordagem preventiva à melhor produtividade e segurança, com 60% de redução no tempo de inatividade.

Impacto na Produtividade e Economia

Bom, mas como tamanho potencial se traduz quando o assunto é produtividade e economia de recursos?

Empresas que adotam essa abordagem conseguem não só evitar paradas inesperadas, mas também otimizar o uso dos seus ativos.

Na prática, significa que máquinas não ficam ociosas por falhas que poderiam ser previstas e corrigidas antes mesmo de acontecerem.

A produtividade aumenta porque o tempo de inatividade diminui drasticamente.

E, falando em números, isso se traduz em economia de recursos financeiros consideráveis.

Exemplos práticos? Estudos da indústria indicam que a manutenção preventiva pode:

  • reduzir os custos de manutenção em  até 35%;
  • reduzir as taxas de falhas em até 75%;
  • reduzir o tempo de inatividade em até 45%;
  • e aumentar a produção em até 35%.

E mais: a eficiência energética melhorou, a vida útil dos equipamentos se estendeu, e o ambiente de trabalho se tornou mais seguro. Se isso não é impactar a produtividade e a economia, o que seria?

Manutenção Preventiva: Aplicação em Diversos Setores

Então, por que essa estratégia de manutenção ganhou tanta popularidade? Simples: porque ela é extremamente adaptável e pode ser personalizada para atender às necessidades específicas de cada indústria.

Essa facilidade garante que os equipamentos operem no seu pico de eficiência e reduzam os tempos de inatividade não planejados.

Máquinas industriais

Na indústria de alimentos, têxtil, de manufaturas ou qualquer outra, a qualidade do produto depende do bom funcionamento da operação.

Basta uma pequena falha em uma única etapa do processo para inviabilizar o resultado final. 

É essencial manter a atenção aos detalhes e fazer revisões periódicas para impedir disrupções na linha de produção.

Veículos automotores

Carros, ônibus e trens presentes no dia a dia da população, são máquinas que demandam tanta atenção quanto um ativo de chão de fábrica.

Por exemplo, a falta de lubrificação nos motores é capaz de diminuir drasticamente a vida útil do veículo — isso é de conhecimento popular, inclusive.

E um mau funcionamento nas partes pode causar acidentes graves e colocar em risco a vida de muitos. 

Por isso, é preciso manter as revisões em dia e planejar manutenções periódicas que estendam a durabilidade e confiabilidade dos veículos.

Edificações e infraestrutura

Na engenharia, estruturas, encanamentos e redes elétricas têm vida útil e devem passar por revisões e manutenções para garantir a durabilidade e o bom funcionamento de edifícios, estradas, pontes, entre outros.

Na prática, envolve inspeções preventivas regulares em sistemas elétricos, hidráulicos, estruturais e de climatização. 

Além disso, na infraestrutura (estradas, pontes, etc), a manutenção preventiva é crucial para prevenir deterioração causada por condições climáticas, tráfego intenso e uso contínuo.

Inspeções periódicas, reparos de fissuras, recapeamentos e reforços estruturais são parte dessa abordagem preventiva.

Sucroalcooleiro

Em usinas de açúcar e etanol, a manutenção preventiva é aplicada em equipamentos-chave, como moendas, caldeiras, centrífugas e destiladores.

Falamos de um segmento de alto investimento, que necessita criar estratégias que evitem paradas não programadas e maximizem a produtividade.

Desse modo, não são raras as inspeções regulares, lubrificação adequada, ajustes e substituição de peças desgastadas antes que falhas ocorram

Além disso, a manutenção preventiva também está associada à gestão inteligente de safra, programando revisões e manutenções durante períodos de entressafra, minimizando impactos na produção.

Ou seja, na prática, a manutenção preventiva acaba se tornando um elo forte na cadeia de processos que torna uma indústria — independente de qual for — forte diante da concorrência.

Passo a Passo para Implementação da Manutenção Preventiva

Implementar a manutenção preventiva não é propriamente fácil, mas também não é um bicho de sete cabeças.

Criamos um passo a passo prático que vai guiar você por essa jornada, vamos lá?

  1. Mapeamento de Ativos: o primeiro passo é saber com o que você está lidando. Quais máquinas e equipamentos você tem? Qual a importância de cada um para o processo produtivo? A ideia é criar uma lista detalhada dos seus ativos e entender o papel de cada um na operação.
  2. Determinação da Criticidade: nem todos os ativos têm o mesmo peso. Identificar quais são críticos para sua operação é crucial. Pergunte-se: quais falhas poderiam parar a produção? Comece por esses.
  3. Desenvolvimento de Planos de Manutenção: para cada ativo crítico, desenvolva um plano de manutenção específico. Isso inclui definir a frequência das inspeções, quais tarefas são necessárias e quais peças podem precisar de substituição.
  4. Programação de Inspeções Regulares: com os planos em mãos, é hora de agendar as inspeções e manutenções. Use um sistema de gestão de manutenção para ajudar a organizar e lembrar das datas importantes.
  5. Implementação de um Sistema de Gestão: falando em sistema, a tecnologia é sua melhor amiga aqui. Um CMMS (Computerized Maintenance Management System) pode automatizar muitos desses processos, desde o agendamento até o acompanhamento das manutenções.
  1. Treinamento da Equipe: garanta que sua equipe entenda a importância da manutenção preventiva e saiba como executar os planos. Investir em treinamento é investir na eficácia do seu programa de manutenção.
  2. Análise e Ajuste: por fim, a manutenção preventiva não é algo que você configura uma vez e esquece. É um processo contínuo. Analise os resultados, ajuste os planos conforme necessário e sempre procure maneiras de melhorar.

Implementar a manutenção preventiva pode parecer uma jornada longa, mas os benefícios são incontestáveis.

Redução de paradas inesperadas, aumento da vida útil dos equipamentos e economia de custos. E então, vamos colocar a mão na massa?

Manutenção preventiva rápida e eficaz: descubra como agendando uma demo!

Técnicas Avançadas e Inovações no Campo da Manutenção Preventiva

A boa notícia? As técnicas de manutenção preventiva estão evoluindo rapidamente, graças ao avanço tecnológico.

Análise de vibração, termografia, ultrassom e análise de óleo são apenas a ponta do iceberg.

Mas, você já ouviu falar em IoT e IA transformando a manutenção preventiva

Sim, estamos falando de sensores inteligentes e algoritmos que podem prever falhas antes mesmo de acontecerem. Imagine ter um doutor para suas máquinas, 24/7, sempre alerta.

Já abordamos mais profundamente sobre o tema em nosso artigo sobre manutenção assistida por IA.

E aí entra a manutenção preditiva, um passo além da preventiva.

Com ela, você não segue somente um calendário, mas para e escuta o que suas máquinas têm a dizer.

Vibração, temperatura, pressão… todos esses dados coletados em tempo real nos dão insights preciosos sobre o estado do seu equipamento.

É um poder e tanto — baseado em dados e estatísticas reais.

Agora, seriam os dois conceitos — preventiva e preditiva — a mesma coisa? Ou mesmo o oposto uma da outra?

Pense nessas abordagens como complementares. Juntas, elas formam a dupla dinâmica da manutenção moderna — e dão vida a uma terceira estratégia que vale a pena mencionar: manutenção prescritiva.

Desafios e Soluções na Implementação da Manutenção Preventiva

Implementar a manutenção preventiva pode parecer uma maratona — especialmente porque envolve muita gente, do chão de fábrica até os gerentes de produção.

Os desafios? Vão desde a resistência interna, o clássico “nós sempre fizemos assim!”, até a falta de um plano de ação bem estruturado. Sem esquecer do velho hábito de confiar mais na intuição do que nos dados.

Agora, quais as soluções?

A primeira solução passa por cultivar uma cultura preventiva, começando lá do alto, com os executivos, até chegar ao chão de fábrica.

Como?

Comunicação transparente e educação contínua sobre os benefícios a longo prazo dessa abordagem.

Vale buscar nos dados para mostrar — em números — o quanto a prevenção pode economizar ajuda a virar o jogo.

E a tecnologia? Não pense que você vai administrar tudo com uma planilha de manutenção. Essa ferramenta pode ser útil, mas não definitiva.

Investir em um CMMS (Sistema de Gerenciamento de Manutenção Computadorizado) não é só modernidade, é inteligência.

Ele traz visibilidade, controle e, principalmente, a capacidade de prever e agir antes que a máquina dê aquele “grito” de socorro.

É o caso do CMMS TracOS™, uma plataforma de gestão de manutenção.

Mas como a solução da TRACTIAN ajuda você na gestão da manutenção?

Com o TracOS™ você visualiza toda sua árvore de ativos e centraliza a gestão dos planos de manutenção do time inteiro, de forma automatizada.

Quer um exemplo? Veja só:

Ou seja:

Seu planejamento de manutenção fica muito mais eficiente com uma plataforma que possibilita múltiplas visões sobre os ativos, filtros por categorias como responsáveis, prioridade, data de vencimento da OS com filtros de categoria como elétrica, hidráulica, mecânica e afins.

Ainda assim, você se preocupa com a medição da eficácia do seu plano? Sem problemas.

Os indicadores de manutenção são atualizados em tempo real e de forma automática — assim você tem uma visão mais objetiva sobre as inspeções, históricos, MMTR etc. 

O melhor? Você tem acesso ao histórico de uso e compra, checklists automatizados, planos preventivos, procedimentos e outros.

Interessou? Fale com um de nossos especialistas e agende uma demonstração gratuita.

Descubra como otimizar sua manutenção: agende uma demo agora!

Conclusão

Gostou de aprender tudo sobre manutenção preventiva e seu papel na busca pela eficiência operacional, longevidade do maquinário e, claro, economia de recursos?

Ao longo deste artigo, vimos como a aplicação consciente e planejada dessa prática não apenas mantém suas máquinas e equipamentos em plena forma, mas também eleva todo o negócio a um novo patamar de produtividade e sustentabilidade.

De técnicas avançadas que utilizam o melhor da tecnologia moderna até estratégias para superar desafios comuns no chão de fábrica, a abordagem preventiva se mostra não apenas necessária, mas fundamental para qualquer empresa.

Então, que tal começar agora? Lembre-se: prevenir é melhor (e mais barato) do que consertar. Vamos nessa?

Acabe com as paradas não planejadas. Conheça os sensores TRACTIAN!

Compartilhe este artigo

Compartilhe no FacebookCompartilhe no LinkedInCompartilhe no Whatsapp

Sobre o autor:

Foto do Autor

Lucas Dombroysk

Administrador formado pela FIAP, com mais de uma década de vivência na indústria metalúrgica. É Sales Account Executive na TRACTIAN e especialista em otimizar processos por meio da tecnologia.

Linkedin do Autor

Compartilhe este artigo

Compartilhe no FacebookCompartilhe no LinkedInCompartilhe no Whatsapp
smart-trac-chip-blog-Tractian

Está gastando muito com a manutenção inesperada de suas máquinas?

Preencha abaixo o seu e-mail e descubra com o nosso especialista como reduzir esse custo!

Está quase, !

Só precisamos de mais algumas informações: